Empresas devem contribuir com o descarte correto das lâmpadas usadas

Indústrias, comércio em geral, hospitais e escolas devem buscar empresas especializadas que coletem, descontaminem e reciclem o produto adequadamente

reciclagem de lâmpadasDurabilidade e economia estão entre as características das versáteis lâmpadas fluorescentes. Atualmente, é difícil encontrar alguma empresa ou estabelecimento que não tenha substituído as incandescentes pelas chamadas “lâmpadas frias”. Porém, é importante que as empresas se preocupem com o descarte correto desse material.

Como é de conhecimento, esses produtos não podem ser descartados em qualquer lugar, nem mesmo no lixo, seja orgânico ou reciclável, devido ao risco que oferecem ao meio ambiente por conterem mercúrio em sua composição. O mercúrio é altamente tóxico e pode levar a alergias, intoxicações e, em alguns casos, à morte.

Conforme o engenheiro químico da Braskem, Everton Hansen, as lâmpadas fluorescentes após o uso são classificadas como resíduos perigosos (ou resíduos de classe I) de acordo com a NBR 10004, norma que trata sobre a classificação de resíduos sólidos. A substância que confere perigo a esse material é o mercúrio. “Justamente pela presença do mercúrio deve-se ter um cuidado especial durante a manipulação, transporte e destinação desses materiais. Por isso, para o armazenamento das lâmpadas usadas, elas devem ser acondicionadas utilizando preferencialmente suas embalagens originais”, ressalta Everton.

Segundo a gestora ambiental da Recilux, Joana Tavares, as lâmpadas fluorescentes são constituídas por um tubo selado de vidro que contém internamente, além do vapor de mercúrio, o gás argônio. “Enquanto a lâmpada está intacta, ela não oferece risco para as pessoas, entretanto, ao ser rompida, o mercúrio existente em seu interior se libera sob a forma de vapor, por um período de tempo variável em função da temperatura. Se houver contato direto, será aspirado por quem manuseia a lâmpada, sendo inevitável a contaminação do organismo, principalmente através dos pulmões”, explica a especialista.

A conscientização para o descarte correto das lâmpadas deve ser um dever de todos, empresas e comunidade, visando evitar a poluição e preservar a saúde da população e o meio ambiente. E, na logística reversa, estabelecida pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), cada um deve fazer a sua parte. As empresas, portanto, devem buscar um serviço especializado para coleta, descontaminação e reciclagem das lâmpadas fluorescentes usadas.

“Durante o transporte elas também devem ser mantidas em recipientes adequados para evitar o seu deslocamento e possível ruptura. As lâmpadas fluorescentes usadas devem ser destinadas a empresas devidamente licenciadas para este fim, pois nesta etapa também devem ser tomados todos os cuidados para que não ocorra contaminação do solo e da água subterrânea. A destinação adequada das lâmpadas usadas deve fazer parte da gestão ambiental das empresas, visando à prevenção dos riscos à saúde e ao meio ambiente”, finaliza Everton.

Processos realizados em locais especializados são responsáveis por retirar o mercúrio das lâmpadas fluorescentes, eliminando a possibilidade de contaminações ambientais e de intoxicações. Até por isso, o descarte deve ser bem feito, procedendo com a destinação correta, isolando o material em caso de quebra e agindo de acordo com as normas ambientais vigentes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s